7 de out de 2009

Olimpíadas 2016

Fica no ar a pergunta: o que será feito das novas instalações para receber os turistas das Olimpíadas ?

Vamos analisar, serão milhões de dólares investidos em uma única cidade brasileira para receber pessoas por apenas uns 15 dias, e depois?

Sabe-se que o Rio de Janeiro, apesar de ser a "cidade maravilhosa" não oferece a melhor segurança para quem a visita em dias normais sem grandes eventos, sempre sobra uma bala perdida pra moradores ou turistas assaltados em plena Praia de Copacabana, será que numa operação relâmpago, o governo conseguirá trabalhar os policiais técnicamente, psicologicamente, capazes de discernir entre um bandido e um pai com sua família no carro . Que os cariocas não fiquem brabos comigo, mas são fatos e estatísticas que me levam a essas reflexões.

Acho que o Rio merece ser o patrono da festa, mas penso que quando as pessoas e o evento forem embora, o que será feito do que sobrou ?

Hoje o Rio não é mais visto como a única cidade brasileira que vale a pena ser visitada, existe a Bahia, com suas praias paradisíacas direcionadas pra nata da elite, que faz uma campanha ferrenha voltada ao turismo . Há também outras praias espalhadas pelo Brasil que são um verdadeiro sonho, e suas respectivas cidades mostrando o lugar como o melhor do mundo ( e falo em praias porque o Rio é uma cidade praiana, então quem opta por ir a praia, pode escolher onde e qual quer ficar). O turismo carioca tem caído ano a ano.

Toda essa minha lenga-lenga é pra dizer que tais investimentos tem que ser bem administrados para não sofrermos muitas perdas.

Será necessário a criação de um terço a mais de quartos pra acomodação de todos, reorganizar o sistema viário para assegurar o fluxo de pessoas circulando, todo um comércio que auto surgirá em decorrência do evento, enfim, uma série de mudanças que talvez não se auto sustente depois das Olimpíadas. Sendo talvez um pouco pessimista, mas talvez também realista, uma parte desses investimentos sempre é "extraviado"para o bolso de alguns e os efeitos do surgimento desse comércio, não tem bases sólidas de sustentação, pois não surgiram por que o turismo foi crescendo ao longo do tempo, mas de uma situação relâmpago que dura apenas uns 15 dias. Podem ocorrer empréstimos bancários que não serão pagos, aumento na inadimplência devido a demissões em massa, posso até afirmar que o maior veneno do comércio é não ter clientes. Tem a mercadoria comprada com prazo para pagar, tem funcionários à disposição (que custam encargos) e não tem clientes para comprar sua mercadoria, que vendida, viraria capital de giro pra pagar dívidas e funcionários.


Acho que os comerciantes devem parar de ser vistos como vilões achatadores de salários, eles também tem encargos pesados pra pagar e muitas vezes nem tiram pró-labore (que é o pagamento do patrão), as vezes pra ele mesmo sobra muito pouco e falo do pequeno comerciante, este que sonha com sua lojinha na frente do Estádio Olímpico, que finalmente fará um empréstimo no Banco em prestações à perder de vista e realizar seu sonho dourado. Dei uma visão pessimista que tem que ser considerada também, nem tudo são rosas.

Os atletas do Tiro ao Alvo estão deixando de treinar na Arena montada para os Jogos Panamericanos, porque o governo não investe no esporte e a locação do local é muito cara.

E os estádios de futebol que tem que ser reformados ou construídos para a Copa de 2014, ninguém mais tem tocado no assunto o tempo tá apertado. Como é costume brasileiro, vamos emendar 2015 pra festa se prolongar, daí chegamos em 2016 no pique para as Olimpíadas.

Tenho um amigo que fiz a pouco tempo que é português e me disse que os estádios construídos para a Eurocopa de 2004 estão abandonados, considerando que Portugal é um Pais Europeu, pioneiro nas navegações e preocupado com o desenvolvimento cultural do lugar, mesmo assim as traças estão surgindo nos estádios.

Não podemos esquecer que a mesma população que chorou quando o Brasil foi escolhido para sediar as Olimpíadas, não terá acesso a esses jogos, pois o ingresso é caríssimo, e também não esquecer que nunca houve investimentos do Governo em esportes nas escolas, que lhe dê direito a pleitiar a vaga de sede olímpica.

Se pelo menos depois dos jogos o Brasil continuar a investir nos atletas que surgirão, estamos no lucro, mas...sei não, o histórico brasileiro não favorece.

Pra frente Brasil !!!


Nenhum comentário: