12 de dez de 2010

A Máfia e a crise de 1929




Antes do crack da Bolsa de Valores americana em 1929, o país estava em perfeita harmonia com o capitalismo, o período era de grande prosperidade, pois, com o fim da I Grande Guerra e a opção de não se envolver diretamente nos conflitos, os EUA passaram a fornecer mercadorias aos países que sofriam com os efeitos da miséria e a necessidade de reconstrução derivadas deste conflito.
Durante o século XIX lideranças políticas e religiosas dos EUA defendiam que as bebidas alcoólicas deveriam ser combatidas pelo governo. Muitos diziam que a proibição ajudaria no desenvolvimento dos EUA e evitaria sua auto-combustão, ainda que cerveja e vinho consistia em algo pouco patriótico. O gasto com a fabricação do trigo para a cerveja era alto e este tipo de gasto deveria ser evitado após a entrada dos EUA no final da Guerra. Qualquer bebida com mais de 0,5% de teor alcoólico seria intoxicante, portanto, proibida. A Lei Seca pela 18° emenda Constitucional em 1919, entraria em vigor em 1920 e regia que ficaria proibida a fabricação e comercialização de bebidas alcoólicas, subjetivando uma limpeza moral. "Se a honra do grupo depende de todos, o pecado individual pode arrastar a todos", diz Leandro Karnal, professor de História da América da Universidade Estadual de Campinas/SP.  As mudanças culturais que a década de 20 trouxe, liberava as formas de expressão refletidas no cinema, nas roupas, na música e principalmente entre a juventude sedenta de transformações, que conflitavam com o pensamento moralista dos conservadores. Fato é que a prosperidade fechou o pais para assuntos internacionais e a xenofobia tornou-se crescente. Havia em 1920 um Comitê de Americanização, criado por executivos de Hollywood e políticos, que buscavam encorajar um sentimento patriótico através dos filmes. Por trás da aparente harmonia, o caldeirão começa a fervilhar internamente e em silêncio, uma crescente intolerância a judeus, negros e imigrantes surge, e o país construído por imigrantes começa a se fechar ao não americano, tanto assim, que em 1921 a Lei da Imigração colocava obstáculos para quem quisesse entrar nos EUA com cotas cada vez mais severas. Os italianos na maioria dos casos eram camponeses pobres vindos das regiões da Sicília, Nápoles e da Calábria. Longe de sua terra natal, muitos desses imigrantes se reuniam em bairros que, em pouco tempo se tornaram guetos concentrados de italianos dispostos a superar as hostilidades de seu tempo. Preservando características das relações sociais enraizadas em sua terra natal, buscaram a mesma ascensão e o prestígio anteriormente conquistado por judeus, alemães e irlandeses. Don Vito Cascio Ferro foi o primeiro Capo de Tutti Capi. Ele partiu para os EUA em 1901 para escapar à prisão e formou um grupo de nome “Mão Preta”, que contava com criminosos fugidos da Sicília. Ele é conhecido como Pai da Máfia Americana. Em 1924, Mussolini focado em varrer os mafiosos da Itália fascista “empurra” muitos bandidos para os Estados Unidos aumentando o número de seus membros na organização. A Lei Seca desagradou à maioria da população e como conseqüência o comércio de bebidas era feito de forma clandestina, neste espaço gângsters viram uma grande oportunidade lucrativa. Bares e cafés com fachada de sorveteria vendiam bebidas de forma discreta, os speak easy,
O povo bebia de qualquer forma sem se importar com a procedência, assim resultando em milhares de pequenas fábricas clandestinas que se utilizavam de todo tipo de produtos para fabricação das bebidas, como solventes de tintas, formol e alvejante, que por ocasionar um sabor pavoroso, resultou em muitos drinks atuais, como o Blood Mary, onde a adição do tomate disfarçava o gosto ruim do rum ou do gim. As mortes por cirrose neste momento não diminui durante o período da Lei Seca. A polícia nada fazia para impedir (fator cultural, todos bebem). Antes em N.Y. os mafiosos tratavam com a prostituição e extorsão, com a Lei Seca dominaram também as bebidas corrompendo policiais, elegendo políticos e matando seus concorrentes.  O principal mafioso era o siciliano Joseph Bonanno, inspiração de O Poderoso Chefão. Dean O’Banion inundava o norte de Chicago com cerveja e uísque vindos do Canadá, enquanto Jonny Torrio contratava policiais para defender seus interesses no sul da cidade. Mas nenhum se tornou tão lendário quanto Alphonse Capone ou Scarface que ganhou esse apelido devido uma cicatriz no rosto. Al Capone conheceu Jonny Torrio com 14 anos e, com a Lei Seca passou a auxiliá-lo no contrabando de bebidas em Chicago. As várias famílias que se formavam compunham o Cosa Nostra e organizaram a Comission com objetivo de apaziguar os conflitos entre as famílias italianas.
Acumularam verdadeiras fortunas, atiçando a ambição de jovens desamparados da sorte que se propunham a servir de guarda costas para se tornarem futuros chefes quando assassinassem o patrão. A crise de 1929 se inicia quando os países envolvidos na guerra começam a se estabelecer importando cada vez menos dos EUA e este passa a acumular seu excedente de produção gerando desempregos. A queda da Bolsa levou o pais a uma imensa crise financeira, muitos perderam tudo pelas especulações imobiliárias, e o pais entra na era do caos.
A data de 29 de Outubro de 1929 ficou conhecida como a terça-feira negra da Bolsa de N.Y.  pois tudo veio abaixo. Enquanto muitos queriam vender suas ações, poucos ou ninguém queriam comprar. As ações perderam seus valores, assim investidores que tudo haviam investido, suicidara-se e a população mais pobre engrossava a fila de desempregados. Diante de tamanho caos o democrata Franklin Roosvelt adotou o plano econômico chamado New Deal modificando o perfil liberalista de intervenção mínima do estado, agora o estado interviria na vida econômica do pais, entre várias outras medidas. Uma dessas medidas foi à revogação da Lei Seca. Seus defensores alegavam que a industrialização e a comercialização das bebidas alcoólicas poderiam auxiliar no aquecimento da economia e gerar mais empregos. Não sendo mais necessária à sociedade (mesmo que na ilegalidade) a máfia fica enfraquecida e passa a ser combatida. Sentindo o clima de desarmonia os componentes da organização tornam se advogados aliando-se a juízes e órgãos públicos. Charles “Lucky” Luciano foi esperto ao legalizar suas fábricas clandestinas e continuar ganhando muito dinheiro, mas a maioria foi perseguido, como Al Capone preso por sonegação de impostos. O New Deal foi um divisor de águas e nutrindo-se da própria crise adaptou-se aos novos tempos reavivando valores consagrados como bom senso e equilíbrio e a certeza que dinheiro não é tudo, nem sempre trás felicidade.