17 de mai de 2009

A Índia que a Globo não mostra.

É até engraçado andarmos pelas ruas, ouvirmos muitos de nossos amigos e até em nossos trabalhos aquela frasezinha verdadeiramente irritante HARE BABA ( não sei se a escrita está correta mas...). Os meios de comunicação claramente à serviço do capitalismo e vantagens internacionais que este tipo de programa pode trazer, fazem pesados investimentos de olho no retorno. A Globo como órgão de comunicação internacional estimula, provavelmente com apoio do Governo Nacional e Internacional, pois, o turismo aumenta consideravelmente o comércio local, no caso indiano, aumenta a venda de passagens aéreas de turistas ávidos por uma viagem exótica, a Globo aumenta sua venda de TV por assinatura , aumenta a procura de empresas querendo colocar seu comercial no horário nobre e enfim cresce também o comércio de produtos "indianos" no Brasil. Mas a realidade é bem diferente, pois, é fato que a economia indiana está em pleno desenvolvimento, crescendo a taxas de quase 10 % ao ano ( se compararmos, o Brasil cresce 3 a 4% ao ano) esse crescimento é para poucos pois a grande maioria da população vive na mais extrema pobreza e falta de higiene. Um país sem infra-estrutura atrelado a religiosidade, onde um rio sujo, fétido, cheio de cadáveres, pois na Índia indigentes são jogados inteiros e quem tem família os restos cremados, é sagrado. Eles acreditam que o Rio Ganges é um Deus que purifica o corpo pela deteriorização e por ser um Deus pode ser usado para tudo inclusive banhar-se e no preparo dos alimentos, então ao mesmo tempo que um cadáver bóia no rio tendo suas vísceras comidas por corvos, a alguns metros dali pessoas se banham alegremente celebrando a vida. Sem contar as vacas, animaizinhos simpáticos, mas que defecam por toda parte, mesmo nas casas, pois também são sagradas tem livre acesso pelas ruas.
A ONU envia recursos constantemente ( segundo fontes de revistas) para realização de obras de saneamento básico, como construção de redes de esgoto que desviassem a sujeira que é jogada no rio, porém autoridades locais valendo-se da religiosidade do seu povo, insistem na ideia de que o Ganges é um deus e como sendo é intocável. Sendo assim é só entrar um minutinho no You Tube para nos depararmos com crianças com mal formação congénita hidrocefálicas ou gêmeas siamesas mal formadas com 4 braços e 4 pernas que na índia são consideradas deusas ( no caso a deusa Lakshmi). A falta de informação e o politeísmo indiano condenam a população a uma vida miserável ao mesmo tempo em que o país é um dos que possui o maior número de milionários, então aquelas roupinhas limpinhas, brilhantes, cheias de cores que vimos na novela é pura ilusão, ficção voltada a aumentar o consumo de vestuários para que qualquer mulher se pareça com a Juliana Paes ( beleza eleita pela Rede Globo ). Quanto mais eu vivo mais eu consigo colocar em prática preceitos aprendidos em sala de aula como o que o capitalismo se adapta, se volta e cria necessidades para sua manutenção.
HARE BABA !

Um comentário:

The dolly sisters disse...

Gostei deste post, Ana.
Preciso escrever algo sobre isso no meu blog tbém. O que penso, além das questões higiênicas e sanitárias que não são mostradas na novela, é a grande violência psicológica que a mulher indiana sofre (e que a novela mostra), mas a novela estiliza, glamouriza a violência sofrida, com casas lindas e roupas cheias de pompa. Precisamos falar disso.

Obrigada pela visita.

´
erika dolly