7 de jun de 2009

Nada é maior que meu amor nem mais bonito II

Visitando o blog da minha amiga e irmã espiritual, Nayara li em sua última postagem um lindo texto sobre Roberto Carlos, o Bob (para os íntimos), e inacreditávelmente, numa dessas sintonias que a gente não explica simplesmente acontece, eu estava procurando algumas músicas do Bob pra baixar. Lendo sua postagem lembrei que aproximadamente dois anos atrás, um carro passou com o volume muito, mais muito alto com uma música do Bob e ao contrário de eu ficar irritada (era domingo a tarde e estava tirando um cochilo), a música mexeu comigo de uma forma que fiquei meio comovida a tarde inteira (e não dormi mais) e pensei exatamente como minha amiga; o que me faz gostar do Bob? Puxa...são tantas emoções. A resposta é muito simples, o Bob fala com a alma, com o coração de quem já sentiu tudo aquilo que ele canta (e quem nunca sofreu por amor ou nunca esteve apaixonado loucamente?). Por mais que as pessoas digam que ele é brega (e não é porque hoje ele está na moda) ele consegue descrever emoções com palavras e uma profundidade que a gente chega a ter aquele sentimento que a música quer passar.
Também assisti ao programa em que ele cantava com elas e fiquei emocionada com a energia positiva e o romantismo que fica no ar. Hoje não existe mas romantismo, as pessoas ficam, e como é, rápido não dá tempo para surgir as afinidades e o romantismo, aquela vontade de fazer o outro feliz, o prazer de doar pra ter em troca um sorriso, isto não existe mais, infelizmente.
Sorte que Roberto Carlos existe para nos lembrar como é bom sentir o amor.

3 comentários:

nayarac. disse...

Pois é minha cara, o Rei tem o título porque merece muito, muito mesmo!

Anônimo disse...

Oi Ana!
Muito interssante essa matéria do Roberto.Realmente ele canta com a alma,com emoção e as músicas dele tem LETRAS.Ele merece ser REi mesmo.Sou fã desse cara sensacional que encanta e alegra com seu romantismo.
Roberto é Roberto e pronto!!!!
Bjo
Marileide

Ana Paula disse...

Disse tudo. Ele é o cara!