4 de ago de 2011

Nova Ordem Mundial. Será?


Até onde a crise americana pode afetar o mundo globalizado? É fato que os EUA está perdendo o poder de fogo, já não é mais a maior potência mundial, não é mais respeitado como a "polícia do mundo", deixou de "dar as cartas". Obama tenta desesperadamente se manter no poder e tirar a imagem, que muitos ainda mantém, de governo incompetente. Bush foi o grande contribuidor pela queda do império econômico americano, suas guerras de vingancinha não levaram a nenhum benefício, pelo contrário, foi muito dinheiro metendo o nariz onde não foi chamado (aproximadamente 5 trilhões de dólares) . Seu pais desmoronando e ele querendo levar democracia em todos os cantos do mundo (Democracia - Direito Universal - sendo universal todos têm direito, mesmo que não queiram essa "democracia" ocidental, é direito, vai na marra). Lógico, de acordo com seus interesses.

Mas parando para raciocinar um pouco, Roberto Da Mata exemplifica algumas formas de jeitinho brasileiro*. Alguns usam o "sabe com quem está falando" como forma de sobrepor-se ao outro numa tentativa de, alguma forma, levar algum tipo de vantagem. Esta é uma forma extremamente agressiva, só podendo ser feita por alguém com poder de influência ou dinheiro.
Outra forma é o tipo simpático, que se dá bem com todos pra não ter problemas. Que busca algum fato incomum pra criar vínculos, como: "olha, somos da mesma cidade" ou "também torço pra este time".
Será que o jeitinho é só brasileiro? Lembram - "Temos que combater o terrorismo com terror" - não parece um anúncio ao mundo pra ter medo de terrorismo, que acontece em qualquer lugar, em qualquer hora. Influencia os outros, ou não?
E outro exemplo chamando toda a Nação a se unir em busca de um bem comum - Yes, we can. Ou quando disseram assim para o Presidente mais pop do Brasil: Você é o cara. Simpático, não?

Bush deixou a economia de lado pra se concentrar em guerras. A base da economia americana é de consumo interno, as pessoas compram pra ajudar a empresa americana, que se fortalece e enriquece o pais. Diante de uma crise econômica, com demissões em massa e a divida do pais com empresas estrangeiras crescendo, como fortalecer o consumo interno? Por outro lado corre a China que cresce, mas têm muito dinheiro investido em papéis do tesouro americano. Os produtos chineses são de baixa qualidade, feitos com mão de obra barata, com uma classe trabalhadora oprimida e desarticulada.
Será que logo teremos outra "Nova Ordem Mundial"?

* O que faz o Brasil, Brasil - Roberto Da Mata. ed. Rocco.2001

Nenhum comentário: