2 de set de 2009

A ignorância da ditadura.

Tendo silenciado e asfixiado Geraldo Vandré, pois exilado de 1969 a 1973, após o exílio, jamais conseguiu recuperar a carreira interrompida pela censura da ditadura militar, os militares elegeram o seu novo inimigo do regime: Chico Buarque de Hollanda. No período que durou a censura e o regime militar, Chico Buarque foi o compositor e cantor mais censurado. A sua obra sofreu respingos da censura em todas as vertentes, tanto nas canções de protesto, quanto nas que feriam os costumes morais da época.

Os problemas de Chico Buarque com a censura começaram junto com a sua carreira. Em 1966, a música “Tamandaré”, incluída no repertório do show “Meu Refrão”, com Odete Lara e MPB-4, é proibida após seis meses em cartaz, por conter frases consideradas ofensivas ao patrono da marinha. Era o começo de um longo namoro entre a censura e a obra de Chico Buarque.

Exilado na Itália, de 1969 a 1970, Chico sofreria com a perseguição da censura após o retorno ao Brasil. Em 1970, recém chegado do exílio, o compositor enviou a música “Apesar de Você” para a aprovação da censura, tendo a certeza que a música seria vetada. Inesperadamente a canção foi aprovada, sendo gravada imediatamente em compacto, tornando-se um sucesso instantâneo. Já se tinha vendido mais de 100 mil cópias, era considerado "Hino da Resistência", quando um jornal comentou que a música referia-se ao presidente Médici.
Descoberta a intenção, o exército brasileiro invadiu a fábrica da Philips, apreendendo todos os discos, destruindo-os. Na confusão, esqueceram de destruir a matriz.
Chamado a interrogatório para explicar quem era o “você” da música, Chico, brilhantemente responde: “ Era uma mulher muito mandona, muito autoritária”.
Muitas obras eram mal compreendidas pelos militares, eles confundiam movimentos de liberdade cultural com obras que tivessem como objetivo ferir o governo, então, pelo sim e pelo não, confiscavam qualquer uma, que em sua visão distorcida, atacasse direta ou indiretamente o sistema.


Escolhi a música de Chico Buarque “Apesar de você”, que quando criada teve como intuito atacar os militares, sendo claramente um protesto contra a ditadura e uma prova da ignorância dos dirigentes que num primeiro momento aprovam a música e só se dão conta do protesto por meio de um jornal.

Apesar de você ( Chico Buarque - 1970)

Hoje você é quem manda /Falou, tá falado /Não tem discussão, não. /A minha gente hoje anda /Falando de lado e olhando pro chão. /Viu?Você que inventou esse Estado /Inventou de inventar /Toda escuridão /Você que inventou o pecado /Esqueceu-se de inventar o perdão. /Apesar de você amanhã há de ser outro dia. /Eu pergunto a você onde vai se esconder /Da enorme euforia? /Como vai proibir /Quando o galo insistir em cantar? /Água nova brotando /E a gente se amando sem parar. /Quando chegar o momento /Esse meu sofrimento /Vou cobrar com juros. / Juro! /Todo esse amor reprimido, /Esse grito contido, /Esse samba no escuro. /Você que inventou a tristeza /Ora tenha a finezade “desinventar”. /Você vai pagar, e é dobrado, /Cada lágrima rolada /Nesse meu penar. /Apesar de você /Amanhã há de ser outro dia. /Ainda pago pra ver /O jardim florescer /Qual você não queria. /Você vai se amargar /Vendo o dia raiar /Sem lhe pedir licença. /E eu vou morrer de rir /E esse dia há de virantes do que você pensa. /Apesar de você /Apesar de você /Amanhã há de ser outro dia. /Você vai ter que ver /A manhã renascer /E esbanjar poesia./Como vai se explicar/Vendo o céu clarear, de repente,/Impunemente?/Como vai abafar/Nosso coro a cantar,/Na sua frente./Apesar de você/Apesar de você/Amanhã há de ser outro dia./Você vai se dar mal, etc e tal ...

A crítica é clara e evidente, e demonstra a certeza de que um dia aquilo tudo, inconcebível, iria passar, e quando passasse os responsáveis seriam punidos “com juros” e assim, as pessoas voltariam a ser livres. Como a censura não percebeu?

Nenhum comentário: